segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

143 - O Julgamento de um Senhor do Tempo

O Julgamento de um Senhor do Tempo, ou The Trial of a Time Lord, é um grande arco que abarcou toda a 23ª Temporada e é composto por quatro partes no estilo tradicional da série clássica, unidos por uma trama em comum interconectada, sendo esse formato único na história da série, que nunca foi visto antes e nunca voltou a se repetir. O Julgamento de um Senhor do Tempo é composto por O Planeta Misterioso, Confusão Mental, Terror dos Vervoids e O Inimigo Definitivo. A produção sofreu alguns problemas, como a demissão do editor de roteiros Eric Saward.

Pré-Produção

A mudança de formato da 22ª Temporada, com episódios semanais de 45 minutos, havia gerado um sucesso razoável, o que fez com que a equipe de produção começasse a encomendar arcos no mesmo formato para a 23ª temporada. Entretanto, em fevereiro de 1985, a BBC anunciou que para economizar custos com objetivo de produzir certos projetos, como a estreia da série East Enders, cancelaria a temporada. Depois de enérgicos protestos da imprensa e dos fãs de Doctor Who, a BBC anunciou que o programa só estava em "descanso" e voltaria em setembro de 1986. Um desses protestos figurou como o clipe Doctor in Distress.

Com o "descanso", todos os arcos de 45 minutos que estariam na 23ª temporada foram cancelados. O formato da série voltaria ao que era antes, com episódios com 25 minutos de duração, e com apenas 14 episódios para toda a temporada, fazendo com que ela durasse aproximadamente metade do que a 22ª temporada durou. Por isso a equipe de produção se viu obrigada a cancelar os arcos que estavam parados, e em seu lugar decidiram provar algo novo. O produtor John Nathan-Turner e o editor de roteiros Eric Saward tiveram a ideia de criar histórias interconectadas entre si, inspirando-se no popular Um Conto de Natal de Charles Dickens para fazer uma história de passado, presente e futuro. Este grande arco de 14 episódios originalmente estaria dividido em duas partes de 4 episódios e uma de 6, mas essa última parte foi dividida em duas.

Os Arcos Cancelados

A Feira do Pesadelo (The Nightmare Fair)

No roteiro original de Revelação dos Daleks, a última palavra que o Doutor diria no fim do Episódio 2 seria "Blackpool", uma deixa para esta história. A Feira do Pesadelo marcaria a volta de Michael Gough, que tinha sido convencido, como O Artesão Celestial. Posteriormente à 23ª temporada, esta história foi adaptada para livro e áudio. No áudio, produzido pela Big Finish Productions, o Artesão Celestial foi interpretado por David Bailie, pois Michael Gough se recusou a fazer o episódio.

Na história, Peri seria atacada por mineiros robôs em um passeio de aventura em uma mina de ouro. O Doutor seria forçado a jogar um videogame cujo resultado decidiria o destino do planeta. Até o final, o Artesão seria derrotado e o Doutor e Peri continuariam suas férias em Blackpool.

O Mal Supremo (The Ultimate Evil)

A história seria ambientada no planeta de férias Tranquela, onde o anão Mordant estava usando um raio espacial para fazer todas as pessoas boas assassinos raivosos. A TARDIS chegaria ao planeta. Peri seria atacada e deixada como morta, enquanto o Doutor estaria temporariamente sob os poderes de Mordant. No final, o Doutor faria Mordant usar um raio bom no planeta antes que o anão escapasse. Esta história foi adaptada para livro.

Missão para Magnus (Mission to Magnus)

Philip Martin, o escritor, disse a um grupo de intelectuais que estava escrevendo para Doctor Who e perguntou como ele poderia fazer a Terra ficar drasticamente mais fria. O grupo respondeu que ele teria que mudar a inclinação do eixo da Terra e lhe disse uma maneira específica de fazê-lo. Philip pôs isso no roteiro.

A história teria se concentrado nos Guerreiros de Gelo que teriam tentado mudar a inclinação de Magnus para melhor se adequarem ao planeta. Eles trairiam Sil, mas o Doutor faria isso parar com a sua própria tecnologia.

Devido ao desejo de Nabil Shaban de retornar ao programa, Sil foi inserido nesta história. Nabil continuou a mostrar interesse depois do hiato, então ele foi incluído em Confusão Mental. Esta história foi adaptada pra livro e áudio.

Febre Amarela e Como Curá-la (Yellow Fever and How to Cure It)

Esta história foi criada para ser roteirizada por Robert Holmes, e o arco seria composto de três episódios de quarenta e cinco minutos. A trama consistiria no retorno dos Autons, que não apareciam desde O Terror dos Autons, e contaria com aparições do Mestre, da Rani e do brigadeiro em férias. Estaria situada em Cingapura. A trama foi escrita depois que a das outras desta temporada, por isso o seu roteiro estava na forma de proposta no momento do seu cancelamento.

Não houve nenhuma adaptação. Houve duas razões principais: primeiro, o autor original desta história, Robert Holmes, morreu em 1986 e, portanto, não estava disponível quando a Target Books decidiu publicar as novelizações das três primeiras histórias perdidas da 23ª temporada em 1989. Segundo, roteiro constava com apenas um único episódio e uma sinopse escrita antes que O Julgamento de um Senhor do Tempo substituísse a temporada perdida.

O 6º Doutor nunca teve um arco completo com o brigadeiro, mas pôde encontrar-se com ele no áudio O Espectro de Lanyon Moor (The Spectre of Lanyon Moor).

Os Entalhes do Tempo (The Hollows of Time)

A história foi planejada para ser escrita por Christopher H. Bidmead e dirigida por Matthew Robinson. Foi adaptada para áudio. Também seria o retorno dos Tractatores, que apareceram pela primeira e última vez em Frontios.

As Crianças de Janeiro (The Children of January)

Quando o trabalho na temporada foi abortado após o quase cancelamento de Doctor Who, o roteiro para este arco foi descartado juntamente com todas as outras histórias propostas. As Crianças de Janeiro continua sendo uma das poucas histórias "perdidas" do 6º Doutor que não foram adaptadas, nem em uma novelização, nem em uma aventura em áudio da Big Finish.

Pouco se sabe sobre a trama, além de uma declaração feita pelo escritor Michael Feeney Callan em seu site em 2009: "Eu escrevi um arco de duas partes [45 minutos cada] chamado As Crianças de Janeiro. Seria de uma próxima temporada, não da última temporada da série. Mas a BBC decidiu, no meio da temporada, que o programa tinha corrido o seu curso e, no meio da década de 1980, acho que eles estavam certos. Mas eu amei o meu arco, que foi entregue no final de 1985. Eu criei uma raça de proto-humanos fugitivos chamados de Z'ros, espécie de 'abelhas humanas', das quais ainda tenho pesadelos. 'As Crianças de Janeiro', aliás, refere-se a renegados párias de uma civilização de um 'universo paralelo' que foi abandonada."

Produção

Robert Holmes foi incumbido de escrever a primeira e a última parte de O Julgamento de um Senhor do Tempo. A primeira parte recebeu críticas do diretor de drama da BBC Jonathan Powell por seu conteúdo humorístico, contradizendo a petição do diretor da BBC de que adicionasse mais humor à série. A segunda parte, Confusão Mental, foi obra de Phillip Martin. Um personagem de Phillip, Sil, que havia sido introduzido em Desforra em Varos, era muito popular entre a equipe de produção, e como ele voltaria em um arco cancelado, foi decidido que voltaria nessa segunda parte, onde Peri saiu de cena, por intenção de Nicola Bryant de abandonar a série. A terceira parte seria de seis episódios e também seria escrito por Robert Holmes, mas ele recusou dizendo que não gostava de arcos de seis episódios. Depois de recusar as propostas de Christopher H. Bidmead e PJ Hammond, John Nathan-Turner encomendou a Pip e Jane Baker a escrita de Terror dos Vervoids, que seria integralmente gravado em estúdio.

Robert não pôde terminar a quarta parte antes de morrer em 24 de maio de 1986, por isso, rapidamente, John Nathan-Turner voltou a contratar Pip e Jane Baker para que escrevessem uma nova versão, já que John se negou a usar o que Eric Saward escreveu, em que havia acabado com uma grande batalha final de vida ou morte entre o Doutor e o Valeyard em um buraco no tempo. John não queria usar esse final porque poderia servir de desculpa para os chefes da BBC para cancelar o programa. Para a sequência de abertura, 45 segundos de duração, foi utilizado um orçamento de mais de 8.000 libras, a sequência de efeitos especiais mais cara da história da série até a data.