quarta-feira, 9 de maio de 2018

011 - O Resgate

Divulgação
O Resgate, ou The Rescue, é o terceiro arco da 2ª Temporada e foi transmitido pela primeira vez entre 2 e 9 de janeiro de 1965.

Episódios:

O Poderoso Inimigo (The Powerful Enemy)
Medidas Desesperadas (Desperate Measures)

Duração total dos dois episódios: 0:49:56

Sinopse:

A tripulação da TARDIS ainda sente falta de Susan quando a nave aterrissa em um planeta que o Doutor reconhece como Dido, um mundo que ele já visitou. O trio logo se encontra com dois sobreviventes de uma nave acidentada, Vicki e Bennet, que estão esperando uma nave de resgate. Esses dois vivem aterrorizados por Koquillion, um habitante de Dido que atocaia a área.

Curiosidades e Bastidores:

Esta história tinha como título provisório Dr. Who e Tanni, que foi um dos nomes para a Vicki, outro foi Lukki. O especial de décimo aniversário de 1973 da Radio Times chamou a história de O Poderoso Inimigo, já que intitulou todas as histórias iniciais pelo título de seu primeiro episódio.

A história está ambientada no futuro e apresenta a atriz Maureen O'Brien como a nova companheira do Doutor, Vicki. A história O Resgate foi escrita para fazer essa apresentação, e é, portanto, mais dirigida à personagem do que qualquer coisa que a precedeu. Vicki foi a substituta para a neta do Doutor, Susan (Carole Ann Ford). Em contraste com Susan, Vicki é uma órfã da Terra do futuro. Sydney Newman disse a Maureen O'Brien que eles estavam considerando que ela cortasse o cabelo e o tingisse de preto. Maureen recusou, dizendo: "Por que você não traz a Carole Ann Ford de volta?"

O Resgate foi produzido em um bloco de seis episódios com Os Romanos e foi a primeira história produzida no segundo bloco de produção de Dr. Who. Os ensaios e gravações ocorreram de 30 de novembro a 11 de dezembro de 1964, inteiramente em estúdio. Os dois episódios foram assistidos por 12 e 13 milhões de telespectadores no Reino Unido, respectivamente, e foram enaltecidos pelos críticos, que elogiam a narrativa baseada em personagens, embora buracos no roteiro tenham sido percebidos. Ambos os episódios de O Resgate foram mantidos nos arquivos da BBC, e a história foi novelizada e lançada em VHS e DVD.

O Resgate é a primeira história de Dennis Spooner como editor de roteiros, embora ele não esteja listado nos créditos, pois tinha pouco a fazer desde que grande parte do trabalho foi dado ao seu predecessor David Whitaker e, portanto, ele não é creditado. A história foi encomendada no 1º de novembro de 1964, um dia depois de seu contrato com a BBC para o cargo de editor de roteiros ter expirado. Os roteiros foram entregues em 10 de novembro. No rascunho original de David Whitaker, intitulado Dr. Who e Tanni, existem algumas diferenças em relação à versão de transmissão:
  • Bennett é mais indelicado com Vicki.
  • Notavelmente, Koquillion tem um dispositivo que ele usa para paralisar Ian ao encontrar e interrogar ele e Barbara no primeiro episódio.
  • Ele hipnotiza Ian e Barbara e tenta convencê-los a sair da TARDIS, mas o Doutor vê isso no escâner da TARDIS e exige que os professores sejam libertados.
  • Em uma briga, o transe de Ian é quebrado quando ele é empurrado contra a TARDIS e o de Barbara é quebrado quando ela é atirada ao chão.
  • No começo do primeiro episódio, Ian confidencia à Barbara que ele tinha medo de um tempo em que o Doutor fecharia a TARDIS para eles e iria embora como ele fez com Susan, ao que o Doutor, ouvindo, responde que haveria um aviso se estivessem prestes a se separar.

Maureen O'Brien acabara de sair da escola de teatro quando foi escalada como Vicki; foi seu primeiro trabalho como atriz de televisão. O diretor Christopher Barry originalmente queria Bernard Archard para o papel de Bennett, mas não conseguiu escalá-lo. O papel foi para o ator australiano Ray Barrett, que Christopher tinha visto na TV e marcado em seu livro de atores que ele queria lembrar, e o tirou do livro quando chegou a hora. Para preservar o mistério, Koquillion foi creditado como Sydney Wilson, um nome inventado pela equipe de produção em homenagem a dois dos criadores de Dr. Who, Sydney Newman e Donald Wilson. Foi a primeira vez que se usou para um membro do elenco um pseudônimo nos títulos de crédito para ocultar uma reviravolta na trama na série; a prática seria empregada mais tarde para esconder o aparecimento dos vilões Davros e o Mestre. Tom Sheridan forneceu a voz do capitão espacial e também interpretou a fera da areia. Ele estava originalmente escalado para interpretar um dos “didonianos” no final, mas por razões desconhecidas eles foram interpretados por dois extras sem créditos, John Stuart e Colin Hughes.

Como mencionado acima, O Resgate foi o primeiro arco em um novo bloco de produção de Dr. Who; o primeiro bloco de produção durou 52 semanas com um episódio filmado por semana, embora as duas últimas histórias, Planeta de Gigantes e A Invasão Dalek da Terra, tenham sido retidas e a primeira temporada tenha terminado cedo. Como tal, houve uma pausa de seis semanas para o elenco regular antes de começar o trabalho em O Resgate. O Resgate usou a mesma equipe de produção da história seguinte, Os Romanos, e os dois foram combinados para formar um único bloco de produção de seis episódios.

As filmagens dos modelos ocorreram nos estúdios Ealing em 16 de novembro de 1965. Os modelos foram feitos por um modelista externo chamado Shawcraft. Como ele não era projetista, o projetista de Dr. Who, Raymond Cusick, desenhou o que ele queria que a espaçonave parecesse com mais detalhes do que normalmente teria. Ele desenhou a espaçonave em voo, assim como destruída para entenderem o conceito. O projeto de Koquillion foi baseado em um close-up de uma mosca.

Os ensaios do primeiro episódio ocorreram de 30 de novembro a 3 de dezembro de 1964. Carole Ann Ford visitou o set durante os ensaios para conhecer Maureen O'Brien e desejar boa sorte. Os ensaios para o segundo episódio ocorreram de 7 a 10 de dezembro de 1964, com o episódio gravado em 11 de dezembro. A gravação do primeiro episódio ultrapassou o previsto em quinze minutos.

O templo Dido era um grande conjunto que foi iluminado de tal forma a criar uma atmosfera escura; cortinas escuras e fumaça também foram usados. Ao fotografar a fera da areia de Vicki, Jacqueline Hill subestimou o poder do dispositivo e disparou cedo demais; ela não foi gravemente ferida, embora tenha sofrido um choque e sua cara tenha ficado dolorida porque o dispositivo explodiu em seu rosto. O som que a fera da areia faz enquanto morre foi criado com base no "barulho horrível" que um Dalek moribundo fez em Os Daleks.

Uma novelização deste arco escrita por Ian Marter foi publicada pela Target Books em agosto de 1987. Ian morreu logo após completar o manuscrito. Foi posteriormente editado e publicado, com algum material novo acrescentado por Nigel Robinson, editor da linha Target Books. Uma leitura em áudio da novelização, lida por Maureen O'Brien, foi lançada pela AudioGo no 1º de abril de 2013.

Artes Relacionadas:
DeviantArt
LissyStrata