quarta-feira, 23 de maio de 2018

016 - A Perseguição

Divulgação
A Perseguição, ou The Chase, é o oitavo e penúltimo arco da 2ª Temporada, e foi transmitido pela primeira vez entre 22 de maio e 26 de junho de 1965.

Episódios:

Os Executores (The Executioners)
A Morte do Tempo (The Death of Time)
Voo Através da Eternidade (Flight Through Eternity)
Jornada ao Terror (Journey into Terror)
A Morte do Doutor Who (The Death of Doctor Who)
O Planeta da Decisão (The Planet of Decision)

Duração total dos seis episódios: 2:28:17

Sinopse:

Enquanto dentro da TARDIS os viajantes divertem-se com o Visualizador de Tempo e Espaço que conseguiram em sua última aventura no museu espacial, e que permite ver qualquer evento do passado de qualquer parte do universo em uma espécie de tela de televisão, eles aterrissam em um planeta desértico, e, enquanto Ian e Vicki afastam-se para explorá-lo, Barbara e o Doutor veem na tela os Daleks planejando seguir "a máquina do tempo inimiga" até o planeta Aridius para exterminar os seus ocupantes, utilizando para isso uma máquina do tempo própria capaz de seguir a TARDIS aonde quer que ela vá.

Curiosidades e Bastidores:

O sósia robótico do Doutor foi interpretado por Edmund Warwick, que havia aparecido anteriormente em A Invasão Dalek da Terra.

Quando Ian pede a Barbara seu casaco no episódio 2, ela suspira e diz "De novo não!" porque seus companheiros já haviam destroçado outro de seus casacos em O Museu Espacial.

A Perseguição ocorre em múltiplas localizações, incluindo o Mary Celeste, o Empire State Building e o planeta Aridius. A história marca a última aparição William Russell e Jacqueline Hill como os companheiros Ian Chesterton e Barbara Wright, assim como apresenta Peter Purves como o novo companheiro de viagem Steven Taylor. Peter também interpretou Morton Dill, o jovem do Alabama com que os viajantes se encontram no Empire State Building, no episódio Voo Através da Eternidade.

Nos rascunhos iniciais da história, o astronauta capturado recebe os nomes de "Bruck" e "Michael", antes de se decidirem por "Steven".

Os Daleks voltam ao Empire State Building nos episódios Daleks em Manhattan e Evolução dos Daleks da Série Atual. Inclusive, Russel T. Davies comenta que gosta de pensar que os Daleks guardaram o Empire State em seus bancos de memória e voltaram para lá por isso mesmo.

No episódio Os Executores, os Beatles aparecem em uma imagem de arquivo. Originalmente, planejou-se que a banda apareceria pessoalmente no estúdio, com maquiagem para parecerem maiores, representando-os no futuro. Entretanto, o empresário deles, Brian Epstein, rejeitou a aparição no programa, e os produtores decidiram utilizar o fragmento deles cantando a música Ticket to Ride extraído da edição de 15 de abril de 1965 do programa Top of the Pops. Posteriormente, essa gravação, junto com muitos programas completos de Top of the Pops e da própria Dr. Who foram apagados dos arquivos da BBC. Felizmente, os episódios de A Perseguição foram salvos, desta forma, esse fragmento de Ticket to Ride é a única imagem sobrevivente dos Beatles em Top of the Pops.

Nesta história, não se explica como os Daleks sabem do Doutor, seus companheiros e a TARDIS, nem a razão específica de sua missão de execução. Entretanto, o robô duplicado pensa que os companheiros do Doutor são Ian, Barbara e Susan, o que indica que os Daleks tinham conhecimento dos eventos da história A Invasão Dalek da Terra, mas não de histórias posteriores.

É a primeira vez que os Daleks utilizam painéis solares para conseguirem independência energética. Em A Invasão Dalek da Terra, ele usavam parabólicas para receber energia de uma antena central, e em Os Daleks, consumiam eletricidade estática do solo metálico de sua cidade.

É sugerido nesta história que os Daleks podem voar, já que aparecem em dois pisos diferentes do Mary Celeste, e no gancho do primeiro para o segundo episódio é mostrado um Dalek enterrado na areia subindo verticalmente. Não seria até Revelação dos Daleks que seria visto na tela os Daleks voarem.

É uma das poucas histórias dos Daleks em que há elementos humorísticos, e a única em que os próprios exterminadores agem comicamente. Entre outras cenas, dá para ouvir um Dalek tossindo quando sai da areia de Aridius, outros Daleks que usam seus braços para assentir, um Dalek que grita de sofrimento ao cair do Mary Celeste e outro que se enfurece com seu subordinado.

O título original de Terry Nation para esta história foi Os Perseguidores (The Pursuers). Foram feitas muitas mudanças desde sua proposta inicial até o roteiro final. Na história original, a tripulação da TARDIS veria no Visualizador Shakespeare discutindo com sua esposa a possibilidade de permitir Francis Bacon usar seu nome nas obras de Bacon, assim como um discurso de Winston Churchill; Ian e Vicki veriam a cidade subterrânea de Aridian através da areia, e Ian e Barbara não voltariam para a Terra no final do episódio.

Alguns dos Daleks que apareceram neste arco tinham sido fabricados para o filme de 1965 Dr. Who e a Guerra dos Daleks. Embora o plano fosse redecorá-los para assemelhá-los aos Daleks televisivos, perceberam que isso era impossível, e esses três Daleks foram utilizados só de fundo em algumas tomadas. Como A Perseguição foi transmitido antes da estreia do filme, esta é a primeira aparição dos Daleks cinematográficos.

Segundo os relatórios de audiência da BBC, a recepção deste arco em sua época foi majoritariamente positiva. Embora uma minoria tenha considerado o episódio da "casa encantada" ridículo, a maioria considerou-o muito divertido. A batalha entre os Daleks e os Mechanoides no episódio final do arco foi especialmente bem recebida, descrita pelos espectadores como "dramática" e "cheia de aventura".

Uma novelização deste arco, escrita por John Peel, foi publicada pela Target Books em julho de 1989. Foi a primeira de várias novelizações de histórias Dalek que John escreveria depois que a Target chegou a um acordo com o agente de Terry Nation. Como muitas das mudanças feitas na proposta original de Terry para a versão filmada foram por razões de timing e orçamento, ao invés de serem razões artísticas, John Peel restaurou a maioria das ideias originais de Terry Nation em sua novelização.

Em 1966, o áudio do episódio O Planeta da Decisão foi editado com narração de David Graham em um álbum de vinil 33 r.p.m. pela Century 21 Records no Reino Unido e pela Astor Records na Austrália.

A história foi publicada em VHS em 1993 junto com Recordação dos Daleks em uma coleção especial dos Daleks intitulada The Daleks: Limited Edition Boxed Set, para celebrar o 30º aniversário de Dr. Who. A Perseguição foi publicado em outra compilação em DVD junto com O Museu Espacial em 1º de março de 2010. Esta versão destaca-se por uma tomada que foi alterada digitalmente do dia para a noite pelo Doctor Who Restoration Team para que a cena concordasse com o resto da filmagem.

Artes Relacionadas:
Daryl Joyce
LissyStrata
DeviantArt