terça-feira, 24 de julho de 2018

024 - O Artesão Celestial*

Divulgação
O Artesão Celestial, ou The Celestial Toymaker, é o sétimo arco da 3ª Temporada e foi transmitido pela primeira vez entre 2 e 23 de abril de 1966.

Episódios:

Este arco contém os episódios 1 a 3 reconstruídos. Para saber mais, acesse Episódios Reconstruídos.

A Celestial Sala de Jogos (The Celestial Toyroom)*
O Salão de Bonecas (The Hall of Dolls)*
A Pista de Dança (The Dancing Floor)*
O Teste Final (The Final Test)

Duração total dos quatro episódios: 1:35:54

Sinopse:

Uma inteligência alienígena invade a TARDIS e faz o Doutor ficar invisível, deixando Dodo e Steven incrédulos. Ao saírem, entram em um estranho mundo onde o Doutor reaparece, dizendo que conhece o lugar. Os três chegaram ao mundo do Artesão Celestial, uma entidade eterna de infinito poder que faz jogos e armadilhas para os incautos que podem virar os brinquedos do Artesão. Este que faz a TARDIS desaparecer para que os viajantes não possam escapar, separa o Doutor de seus amigos para um jogo Trilógico e os outros dois precisam vencer as criações do Artesão em seus jogos para encontrarem a TARDIS, mas antes que o Doutor chegue ao movimento 1.023 do Jogo Trilógico, do contrário, os três ficarão presos naquele mundo.

Curiosidades e Bastidores:

O Jogo Trilógico lembra o quebra-cabeça Torre de Hanói. Aliás, dois dos títulos provisórios deste arco são O Artesão (The Toymaker) e O Jogo Trilógico (The Trilogic Game).

Artesão é a versão em português para ToyMaker, seguindo a maravilhosa tradução da HQ Fim de Jogo, que contém um prefácio que trata sobre como a tradução deve ser, uma adaptação, nunca uma transcrição, assim como explica que termos em inglês precisam ser traduzidos para o texto em português fazer sentido. O Artesão, renomeado para Fabricante de Brinquedos, também apareceu na HQ especial de Natal de 2015 do Décimo Segundo Doutor. Confiras as duas histórias na pasta de quadrinhos do Dropbox da Biblioteca.

Willian Hartnell, intérprete do Doutor, estava de férias durante os episódios 2 e 3. Foram usadas pré-gravações de sua voz no episódio dois, e, no três, Albert Ward foi o dublê de sua mão nas cenas em que o Doutor está praticamente invisível enquanto jogava o Jogo Trilógico ao longo da trama.

Brian Hayles, roteirista desta história, não estava disponível para fazer as reescrituras necessárias, então o editor de roteiros nesse momento, Donald Tosh, foi encarregado de fazê-las. Como Donald já havia deixado o cargo quando a história foi transmitida, fez um acordo com Brian para receber o crédito de autor e que Brian Hayles fosse creditado por dar a ideia. Depois que Donald concluiu o trabalho com os roteiros, seu sucessor, Gerry Davis, foi obrigado a fazer mais mudanças por causa de um corte no orçamento. Donald não gostou das mudanças e recusou ser creditado, e Gerry não podia assumir o roteiro porque era o editor de roteiros da série. Desta forma, Brian foi o único que apareceu nos créditos como autor do arco, apesar do fato de que não havia trabalhado no roteiro em três meses, e que sua versão final se parecia pouco ou nada com o que havia escrito.

A história foi criada pelo produtor John Wiles, que deixou a série antes que começassem as gravações, depois de várias discussões com Willian Hartnell. Era intenção de John que Willian fosse substituído no papel do Doutor durante a história, fazendo com que o personagem reaparecesse com uma nova forma depois que o Artesão retirasse sua invisibilidade. O diretor de arcos da BBC, Gerald Savory, vetou a ideia e tirou John do programa.

A novelização deste arco, escrita por Gerry Davis e Alison Bingeman, foi publicada pela Target Books em junho de 1986. É um dos poucos livros baseados na série escritos por mais de uma pessoa.

A BBC recebeu reclamações de advogados em nome da instituição Frank Richards porque, segundo eles, o personagem de Peter Stephens, Cyril, era parecido demais com Billy Bunter. A BBC emitiu um comunicado dizendo que Cyril simplesmente foi "inspirado em Bunter".

Graças à gravação na íntegra do som que os fãs fizeram, a história foi publicada em CD com narração de Peter Purves. No episódio 2, entretanto, o Rei de Copas recita uma versão da canção infantil Eeny, meeny, miny, moe que incluía o insulto racista "nigger" em seu segundo verso, pois a utilização do termo ainda era aceitável em 1966. Na publicação em áudio, esse fragmento ofensivo foi tapado com a narração de Peter.

No livro Lealdades Divididas, é revelado que o encontro anterior do Artesão com o Doutor resultou na perda de um amigo de escola deste para o Artesão, que o possuiu. Nesta história, também é revelado que o Artesão é um dos Guardiões, representando os sonhos da mesma forma que o Guardião Branco representa a ordem, e o Guardião Negro representa o caos. No livro O Arcanjo Quântico, o Artesão é chamado de o Guardião de Cristal (Crystal Guardian). Mas, de acordo com Donald Tosh, a intenção original era que o Artesão fosse, assim como o Monge, um membro da espécie do Doutor.

Artes Relacionadas:
Simon Hodges
Rob Carpenter